• Sindminérios

Saiba mais! Sobre a Lei garante à gestante afastamento do trabalho presencial na pandemia




Fonte: Agência Senado

Da Agência Senado | 13/05/2021

https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2021/05/13/lei-garante-a-gestante-afastamento-do-trabalho-presencial-na-pandemia


A Norma busca proteger gestantes do contágio pelo coronavírus.


A Presidência da República sancionou a Lei 14.151, que garante regime de teletrabalho às trabalhadoras gestantes durante a pandemia de covid-19. A norma foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (13).


O texto estabelece ainda que a substituição do trabalho presencial pelo remoto, para a trabalhadora gestante, deverá ocorrer sem redução de salário.


A lei é originada do PL 3.932/2020, de autoria da deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB-AC), em conjunto com outras deputadas. O texto foi relatado no Senado pela senadora Nilda Gondim (MDB-PB). Durante a discussão da matéria no Senado, Nilda Gondim argumentou que o avanço da pandemia no país, com ampliação considerável do número de vítimas e de ocupação de UTIs hospitalares, levou à necessidade de se pensar em uma alternativa para reduzir os riscos à gestante e ao feto.


A senadora ressaltou que atualmente o maior risco laboral para o trabalhador é a contaminação por covid-19, e o risco de complicações é ainda maior para as empregadas gestantes.


— A trabalhadora na referida condição, além de necessitar de cuidados especiais para a preservação de sua saúde, tem que adotar todas as medidas possíveis para a proteção da vida que carrega. Não pode, em um momento como o ora vivenciado no país, ficar exposta a esse terrível vírus, que pode ceifar a sua vida, a de seu filho, bem como arrasar o seu núcleo familiar — justificou Nilda.


MAIS O QUE DIZ A LEI NA ÍNTEGRA ?

FONTE:


http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2019-2022/2021/Lei/L14151.htm

--------------------------------


Lei 14.151 12 de Maio 2021.

Dispõe sobre o afastamento da empregada gestante das atividades de trabalho presencial durante a emergência de saúde pública de importância nacional decorrente do novo coronavírus.


O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:


Art. 1º  Durante a emergência de saúde pública de importância nacional decorrente do novo coronavírus, a empregada gestante deverá permanecer afastada das atividades de trabalho presencial, sem prejuízo de sua remuneração.


Parágrafo único. A empregada afastada nos termos do caput deste artigo ficará à disposição para exercer as atividades em seu domicílio, por meio de teletrabalho, trabalho remoto ou outra forma de trabalho a distância.


Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. 


Brasília, 12 de maio de 2021; 200o da Independência e 133o da República.  


JAIR MESSIAS BOLSONARO

Marcelo Antônio Cartaxo Queiroga Lopes

Damares Regina Alves



E COMO FICA A REMUNERAÇÃO DAS TRABALHADORAS GESTANTES ?


Vale ressaltar!


O primeiro ponto que deve ficar claro é que não se trata de uma possibilidade, mas de uma obrigatoriedade da qual nenhum empregador poderá se eximir – e não precisa de formalização escrita ou acordo.


Caso as gestantes não estejam em atividades passíveis de trabalho remoto, elas precisam ser afastadas imediatamente e ter seu salário garantido de forma integral pelo empregador. 


E já por isso a Lei é importante, mas totalmente falha, pois não prevê o custeio desse afastamento.


O ônus é do empregador e não haverá nenhum auxílio ou benefício compensatório do governo.


Isso significa que não será possível encaminhar essa gestante para o INSS, por exemplo.


As dúvidas são imensas. Mas a única alternativa que nos parece viável quando o empregador não possui condições financeiras de arcar com esse custo é o uso da Medida Provisória nº 1.045, enquanto esta estiver vigente.


Portanto, se não houver qualquer perda salarial para a trabalhadora, é possível fazer o afastamento por suspensão do contrato de trabalho ou redução de jornada com a percepção do Benefício Emergencial pago pelo governo.


Caso tenha alguma perda financeira, a empresa deverá complementá-la.


O agravante é que a Medida Provisória tem validade somente até 25 de agosto de 2021.


Após esse período, a Lei 14.151 prossegue e o setor de Recursos Humanos deve chamar a empregada de volta e determinar que ela trabalhe em casa, em atividade compatível, ou simplesmente continuar garantindo o salário.


Até lá, resta torcer e trabalhar para garantir que a nova Lei seja complementada, se adeque à realidade e não passe a gerar um excesso .


FONTE: Jornal Contábil

14 de Maio 2021

https://www.jornalcontabil.com.br/nova-lei-determina-o-afastamento-imediato-de-todas-as-gestantes-do-ambiente-de-trabalho/

Por: Kerlen Costa, Advogada da Área Trabalhista e Gestão de RH do escritório SCA 


Atenção para maiores esclarecimentos.


Este texto é uma composição de matérias retiradas Sites:

Agência do Senado

Diário oficial da União

Rede jornal contábil



#portaldosindminerios #portadosindmineriossantos #santos

318 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Campanha Salarial 2021

"Faça chuva ou faça sol, onde houver um Trabalhador representado pelo SINDMINÉRIOS SANTOS lá estaremos." No dia 17 de junho de 2021, os Trabalhadores da CIA Ultragaz participaram das pré discussões so